Seguidores

Siga por Email

terça-feira, 28 de julho de 2009

28 Dia do Agricultor

Dia do Agricultor

Decreto Nº 48.630, 27/07/1960 (28/07/2004)

Em algum momento da evolução humana, o homem descobriu que podia tirar da terra o seu alimento. Desde o século XIX, quando se estabeleceram hipóteses de como teria sido o desenvolvimento da humanidade, foram estabelecidas quatro fases de evolução: na primeira fase, o homem foi selvagem; na segunda, nômade e domesticador; na terceira, agricultor; e somente na quarta, começa a civilização. O momento da passagem de caçador para pastor e agricultor nunca ficou muito preciso, não se concluiu exatamente qual foi, ou onde foi.

Estudos arqueológicos, etnográficos e históricos mostram que ao mesmo tempo, em várias partes do mundo, o homem passou a mexer na terra com o objetivo de se alimentar, que é o que conhecemos como agricultura: uma arte, a arte de cultivar a terra.

A agricultura como é feita hoje, a chamada agricultura convencional, se baseia num conjunto de técnicas produtivas que surgiram em meados do século XIX, conhecida como a segunda revolução agrícola, e que se baseou no lançamento dos fertilizantes químicos. Expandiu-se após as grandes guerras, com o advento do emprego de sementes manipuladas geneticamente para provocar o aumento da produtividade, associado ao emprego de agroquímicos (agrotóxicos e fertilizantes) e de maquinaria agrícola.

Esse modelo de agricultura industrial, envolvendo uso intensivo de produtos químicos e grande especialização, tem predominado na agricultura e produção de alimentos mundial.

Agricultor

O que seria da terra sem sua mão?

O que seria de nossas mesas sem sua contribuição?

Artista de obras primas ricas em vitaminas

Capina convicto do feito

Ara com afinco o terreno

Anseio de ver brotar forte e pleno

Seu sonho fincado e plantado com suor, sangue e rugas

Anseio de ver crescer cada muda com água, rega e húmus

Agricultor, o doutor em terras cultivadas

Que capina, que ara

Que irriga, que roça

Que cerca, que planta

Sem suas mãos

Nada nasceria

Sem seu suor

Nada brotaria

Sem suas rugas

Nada vingaria.

Neste solo que abriga sua vida

Neste pedaço de terra que lhe cerca

Viva a cada dia

Sabendo que sua ajuda muda

Muda o rumo de nossa vidas

Nos faz ver que sem sua muda

Não teríamos nada

Agradecidos somos

Mesmo mudos, calados

Por seus esforços dados

Seus suores desperdiçados

Seus frutos plantados

Somos gratos


FaBiaNa GuaRaNHo

4 comentários:

  1. Sendo hoje o dia do agricultor
    passo aqui no seu cantinho
    para irrigar a semente da amizade
    que um dia eu plantei por aqui
    e crescendo florescerá pois é
    uma árvore cujo fruto é a verdade.

    bjs e bom dia

    ResponderExcluir
  2. Passar por aqui é sempre motivo de reflexões e lembranças de datas e personagens que merecem ser homenageados. Parabéns de novo.

    ResponderExcluir
  3. FABIANA

    Obrigada pela tua participação no conto de domingo! Muita sensibilidade!
    Fiz refª ao v/contributo no conto "NABOS"

    Beijinhos e carinho
    Lília
    PS: nao sabia ser o dia do agricultor - e, cada vez a terra é mais importante!

    ResponderExcluir
  4. Neste mês de agosto o blog esta em comemoração
    E te convido a partipar durante todo o mês com a gente..
    E para começar tem selo comemorativo lá no blog..
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.Voltem sempre.

Não vai embora ainda



Deixe um comentário, por favor!

aMiGoS Que Me NaVeGaM Na eSFeRa

CHEGOU O PORTAL DE COMUNICAÇÃO DE ARQUITETOS, ENGENHEIROS E AFINS

VISITEM O POENARCO.
O PORTAL DA ENGENHARIA, ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO.

ShareThis