Seguidores

Siga por Email

terça-feira, 30 de novembro de 2010

SOU DEPENDENTE, CONFESSO


Chega!
Confesso!
Sou viciada.
Peço desculpas aos parentes, amores e amigos, mas sou dependente.
Ao longo dos anos tentei inutilmente resistir a esta tentação louca, que vinha do fundo de cada neurônio meu e me consumia a mente em vontade alucinante.
Agora é tarde, sinto-me totalmente a mercê deste vício e cada dia declino mais ao fundo do poço, e neste fundo cada vez mais não me vejo sozinha, imensamente acompanhada de outros como eu viciados que se entregaram a esta vontade lancinante.
Não há mais o que fazer, ao simplesmente olhar o meu objeto de desejo ou somente inalar seu mais singelo aroma me acabo e transbordo de degeneração mental e não resisto, me entrego compulsivamente.
Será meu fim?
Esse prazer que me leva ao limiar da dor do prazer, me é tão gratificante que imploro a todos:
Deixem-se levar!
Não há nada mais glamoroso.
Venham, juntem-se a mim nesta droga, neste vício, nesta vontade louca e desvairada que irá transformá-los para o resto de seus dias.

Entreguem-se ao melhor de todos os vícios:

A LEITURA.

Fabiana Guaranho


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

33 + 5 = ESPERANÇA


Evito escrever sobre assuntos atuais, pois, os mesmos me parecem um tanto batidos e assim tornam-se enfadonhos, porém, o resgate dos 33 mineiros no Chile não pode ser um assunto para se deixar de escrever.

É certo e sabido que os 33 homens que esperaram 69 dias trancados nas profundezas do solo da Mina San José são heróis, e nos demonstram definitivamente que quando os homens (leia-se seres humanos) unem-se em solidariedade tudo é superável , tudo é possível.

Estes 33 seres humanos que emocionaram todo o planeta não tinham nenhuma opção a não ser organizarem-se, acalmarem-se, apoiarem-se, superarem-se e o pior de todos, aguardarem.

Peço agora licença aos bravos 33 heróis para realçar e homenagear os 6 mais heróis ainda, no meu ponto de vista.

OS SOCORRISTAS.

Estes 5 homens estavam em suas casas nestes 69 dias assim como todos nós assistindo ao desespero dos 33, e imaginando que não queriam estar nesta mesma situação, porém, estes bravos seres humanos não pensaram duas vezes quando solicitados a ajudarem os 33.

Você sairia do conforto de sua casa, da frente da TV, por maior sentimento de solidariedade que possa ter e iria meter-se num tubo de 53cm de diâmetro a quase 700 metros de profundidade numa viagem ao centro da terra sem nenhuma garantia de sucesso?

Esses homens, os SOCORRISTAS, foram, enfrentaram o medo, a incerteza, a inexperiência da Fênix 2 e desceram, socorreram e venceram.

PARABÉNS AOS 5 QUE DEMONSTRARAM AO MUNDO QUE
33 + 5 = ESPERANÇA.

O mundo deve seguir o exemplo de que quando nos sacrificamos pelo próximo tudo podemos.

OBRIGADA CHILE PELOS ENSINAMENTOS, ESPERO QUE O MUNDO JAMAIS ESQUEÇA.

Obrigada em especial aos SOCORRISTAS:

Manuel González Pavéz, 46 anos, trabalha desde 1998 como socorrista especializado em minas e avanço vertical.

Roberto Ríos, 34 anos, é enfermeiro especializado em resgate de guerra e em sobrevivência e fuga de lugares confinados.

Patricio Roblero é enfermeiro da da marinha, experiente em resgate em zonas hostis.

Patricio Sepúlveda é paramédico e cabo da polícia chilena.

Jorge Bustamante, 41 anos, é resgatista e especializado em operar equipamentos pesados.

Fabiana Guaranho




quarta-feira, 13 de outubro de 2010

VOTE POR UM BRASIL MAIS VERDE E LIMPO


Eu voto por um Brasil mais verde e limpo

O que o próximo presidente da República fará para garantir um Brasil mais verde e mais limpo?

Pergunte a eles e aproveite para avisá-los que o desmatamento zero e um plano para ampliar o uso de fontes de energia limpa terão peso na sua decisão de voto no 2º turno das eleições presidenciais em 31 de outubro.

Assine a petição.

http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Participe/Ciberativista/Eu-voto-por-um-Brasil-mais-verde-e-limpo/


sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A MÁFIA DE PALETÓ - ELEANDRO PASSAIA

NÃO DEIXEM DE LER ESTE LIVRO QUE CONTA O ESCÂNDALO EM MATO GROSSO DO SUL
CLIQUEM NO LIVRO AO LADO OU NO LINK ABAIXO:


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

BOBÓ SEM MANDIOCA

HOJE POSTAREI ESTA MATÉRIA DE ANGELA MARIA COSTA QUE TOCA NUM ASSUNTO SUPER NA MODA - AS ELEIÇÕES

Aos domingos, frequentemente, eu e minha mãe vamos para a cozinha. Gosto de cozinhar assim sem compromisso. Experimentamos novos pratos ou repetimos os que mais gostamos. Somos disciplinadas e sempre seguimos à risca as receitas. De modo que, é quase impossível não ficar gostoso. Acontece que para tudo dar certo é necessário ter todos os ingredientes disponíveis. Não somos muito favoráveis às improvisações.

Certo domingo estava tudo programado para fazermos um bobó de camarão. Depois de tudo organizado, camarões limpinhos e temperos cortados, percebi que faltava um ingrediente indispensável, a mandioca. Corri para o mercado e lá não tinha a mandioca. Mas como?! Não posso fazer bobó sem mandioca! O vendedor vendo minha aflição ofereceu-me outros legumes. Por que não leva a batata? Ou o chuchu? Ou a cenoura? Estão fresquinhos! Ora, ora, seu moço, se eu trocar a mandioca por quaisquer desses outros legumes, não será mais um bobó. A mandioca é inerente ao bobó. Pode ser tudo, um ensopado, uma sopa, um cozido, mas NUNCA será um bobó! E eu quero comer bobó. Pois é, parece bobinha esta cena, mas é assim que eu me sinto ao ver na vitrine da TV, a variedade de candidatos que se apresentam nesta eleição. Tem de tudo!

Nesta eleição, com certeza, temos em nossas mãos a oportunidade de mudar a configuração política desse país, porque vamos poder escolher (decidir) quem será o nosso presidente, o nosso governador, os nossos senadores, os nossos deputados federais e estaduais. Serão estes que darão o norte de toda a política social e econômica que afetará a nossa vidinha dentro de casa. E isso, é uma responsabilidade muito grande. Principalmente para nós que temos vivido tempos de tormentas. Estamos nos acostumando com o mal feito, porque anestesiados, descrentes e até insensíveis, esfregam em nossa cara, toda sorte de falcatruas e corrupção. E então eu vejo que para escolher o meu candidato, preciso saber primeiro o que eu quero (igual ao bobó).

Eu quero um país decente, que garanta a vida digna de todo seu povo. Que tenha como prioridade a educação, em que a infância seja respeitada desde o momento de sua concepção, com mães nutridas e com saúde, antes, durante e após o parto. Quero um país que resolva de vez o problema do analfabetismo, das filas nos postos de saúde, da falta de remédios, da violência contra a criança, a mulher e o idoso. Quero todas as crianças com a garantia de poder frequentar uma creche, com professores capacitados e respeitados como em outras profissões, e com salários dignos. Quero jovens saudáveis e livres da droga, com escolas em tempo integral.

Portanto, o momento é de extrema seriedade. É preciso votar nos candidatos certos. Naqueles que comunguem, pelo menos, com os nossos valores e sonhos. Aqui também não dá pra improvisar. É nesta pessoa que vamos depositar toda a nossa esperança. Não pode ser qualquer um, por falta de opção (lembra da mandioca?). Porque se for qualquer um, estaremos apenas garantindo a este cidadão, ou cidadã, quatro ou oito anos de vida boa para si e para os chegados (cupinchas?!) e não para trabalhar em prol do que acreditamos. Não para resolver os problemas que consideramos prioritários.

Nesta eleição estou de orelhas em pé e olhos bem abertos, porque se após as minhas pesquisas, não encontrar um candidato de acordo com os meus princípios, vou fazer igual ao que fiz com o vendedor do mercado. NÃO ME SERVE. DESSA VEZ NÃO VOU LEVAR NADA. PORQUE O QUE EU QUERO NÃO ESTÁ DISPONÍVEL. NÃO ME APETECE.

Tenho convicção de que se fizermos assim, talvez, quem sabe, poderemos estar contribuindo para melhorar o nível dos candidatos e porque não dizer, dos partidos políticos, para as próximas eleições.

Não dá mesmo para fazer um bobó com jiló! É indispensável a MANDIOCA. Capite?!

Ângela Maria Costa

Professora da UFMS/CCHS/DED

lamarc@terra.com.br

terça-feira, 21 de setembro de 2010

21 DE SETEMBRO - DIA INTERNACIONAL DA PAZ

POEMA DE MINHA AUTORIA FEITO EM
24 DE FEVEREIRO DE 1984
MAS QUE INFELIZMENTE AINDA É TÃO ATUAL.
PARA REFLETIR HOJE NO DIA INTERNACIONAL DA PAZ.

The Day (O Dia-A bomba zomba da tonta pomba)Publicar postagem

Pais,

País,

Paz.

Na praça que passa,

O velho vejo.

Baba na barba.

Branco no banco.

Espera o fim da esfera.

A guerra que ferra,

Que fere a Terra.

Que espera sentada,

Sem nada,

Quase acabada.

Aniquilada.

De repente

Um tremor sente.

Explode.

Acaba com o que pode.

(E com o que não pode)

Lindo é o desenho no ar,

Mas não consigo mais respirar.

Aquele que a vê,

Nunca mais poderá ver.

Aquele que escuta,

Tem uma vida curta.

Acaba ali,

Sem nada ouvir.

O que viveu,

Inveja o que morreu,

Pois além de tudo ter escapado,

Fica mudo, ali sentado.

Esperando ela,

Aquela leve,

Escura mas clara,

Chumbo ou neve?

Como deve ser ela?

A radiação.

Como um som

Ocupa o espaço,

Por ela passo,

Passo a passo.

Nada faço.

Já está em mim

E é o fim até o fim.

O que resta não presta.

Contaminado ou aniquilado.

Quem foi o primeiro?

O segundo?

O terceiro?

Tinha terceiro??

Resumo do mundo

Agora imundo.

A pomba não venceu a bomba.

A bomba zomba da tonta pomba.

(Por que não, a pomba zomba da tonta bomba que tomba?).

Quero ar,

Quero respirar,

Quero o mar,

Quero escapar,

Quero me retirar,

Quero parar,

Não quero esperar

O mundo acabar,

Com a terrível.

Guerra Nuclear.

FABIANA GUARANHO


segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Bahia abrigará a construção de três parques eólicos


Três parques eólicos com capacidade instalada de 30 MW (cada) entrarão em operação na Bahia até a segunda metade de 2013, segundo informou em nota o Enel Green Power, grupo da empresa italiana de energia elétrica Enel, que venceu um recente leilão para a construção dos empreendimentos.

Os parques eólicos serão batizados de Primavera, São Judas e Cristal, e terão capacidade de gerar mais de 390 mil MWh anuais, potência que pode suprir o consumo de 245 mil habitações e evitar as emissões de 270 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera.

Segundo o Enel, os parques eólicos aproveitarão os incentivos dirigidos ao desenvolvimento da infraestrutura, em razão da condição semiárida da Bahia. Os empreendimentos deverão ser construídos nas cidades de Juazeiro, Sobradinho e Casa Nova. A empresa também adquiriu, junto a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o direito de assinar um contrato de 20 anos para vender a eletricidade gerada pelas três fábricas a um preço indexado a 100% da inflação brasileira.

"Este resultado é muito importante para nós, dadas as excelentes qualidades de nossos projetos em termos de produtividade, competitividade de custo e retorno sobre investimento", comemorou o presidente do Enel Green Power, Francesco Starace. "Além disso, estamos reforçando nossa presença no Brasil, [...] expandindo também nossa atividade na geração de energia. O Brasil é um grande mercado com recursos renováveis abundantes, e com uma demanda de energia que reflete uma economia em contínuo desenvolvimento", acrescentou o executivo.

Ventos baianos

Não é a primeira vez que a Bahia desperta o interesse de grupos estrangeiros quando o assunto é a energia gerada através dos ventos. Você já havia visto aqui no EcoD que um parque eólico com capacidade de geração de 90 megawatts será construído no estado até julho de 2011. Em julho, o grupo industrial francês Alstom e a empresa brasileira de energias renováveis Desenvix, filial da Engevix, anunciaram a assinatura de um contrato de 100 milhões de euros (R$ 223,71 milhões) para a construção do empreendimento.

O complexo denominado Brotas de Macaúbas, mesmo nome do município onde será instalado, contará com 57 aerogeradores (capacidade de 1,67 megawatt cada), e terá três ramificações (Macaúbas, Novo Horizonte e Seabra). As peças principais serão fabricadas na Espanha e no Brasil.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

VOTE EM QUEM SE PREOCUPA COM OS ANIMAIS

Em dúvida em quem votar nessas

eleições?



Nessas eleições, vote pelos animais

CLIQUEM ACIMA

A gente ajuda

você a sair desse

mato sem cachorro!

Se você se importa com os animais e

acredita que eles devam ser

incluídos nas políticas públicas,

conheça os candidatos amigos

dos animais em seu estado em

www.votepelosanimais.org.br


A WSPA é absolutamente apartidária.

O critério utilizado para a composição da lista

de candidatos é única e exclusivamente

a elaboração, por parte do político,

de leis, projetos, ações, iniciativas e

propostas que visem a proteção e

o bem-estar animal.

Conhece algum candidato amigo dos

animais que não está na lista?

Abra o bico!

Envie um email para

observador@wspabr.org .


quarta-feira, 25 de agosto de 2010

FALTOU ENERGIA SOLAR NO PLANALTO


Carta ao presidente:

Excelentíssimo presidente,

A reforma do Planalto veio em boa hora. O palácio estava mesmo precisando de obras. Quando foi construído, 50 anos atrás, ele era um ícone da modernidade e de um Brasil que vislumbrava um futuro. Essa vocação do edifício seria reafirmada de modo inequívoco se o senhor tivesse recomendado aos responsáveis pela obra a instalação de painéis solares, lembrando aos brasileiros sobre a importância dessa energia de fonte renovável, aliás a que tem o maior potencial ainda não explorado no país.

Incorporar painéis solares ao centro do Poder no país funcionaria como uma forte sinalização de que o Brasil trilhará o caminho do desenvolvimento com um olho novamente voltado para o futuro, crescendo, mas com responsabilidade ambiental. Além disso, os painéis o ajudariam a reduzir a conta de luz do Planalto. Sabemos disso por experiência própria. O Greenpeace instalou painéis solares no teto de seu escritório em São Paulo e seu gasto mensal com eletricidade caiu entre 20% e 30%.

E quando nossas instalações não estão sendo utilizadas, nos fins de semana por exemplo, a energia gerada não é desperdiçada. Ela é jogada na rede que abastece a cidade – uma pequena contribuição nossa para limpar a energia que abastece o maior centro urbano do Brasil.

O país pode dar uma lição ao mundo e ser a primeira nação que sustenta inteiramente seu crescimento econômico com energias renováveis. Não falta tanto para termos uma matriz 100% renovável. Para completar os 20% restantes, é preciso investir na energia do sol e do vento, fontes que, como a água, o país tem de sobra. É uma pena que o senhor tenha perdido a oportunidade de dar aos brasileiros e ao mundo um grande exemplo.

Mas nunca é tarde para corrigir um esquecimento. Se não no Palácio do Planalto, no Congresso, onde tramita o projeto de lei 630/03, conhecido como Lei de Renováveis, que prevê incentivos para a geração renovável, de portes e fontes diversas. Aprovar essa lei ajudará a direcionar a nação para um futuro limpo, substituindo os investimentos em fontes sujas feitos nos últimos anos.

PS: infelizmente o presente é importado. Da próxima vez esperamos que o painel solar seja produzido no Brasil.

Greenpeace




sexta-feira, 23 de julho de 2010

VOCÊ DEFENDE OS ANIMAIS? ENTÃO CLIQUE E ASSINE

Defenda os animais domésticos dizendo NÃO ao projeto de lei!

Segundo a Lei de Crimes Ambientais, é crime praticar ato de violência contra qualquer animal. Porém, tramita no Congresso Nacional um Projeto de Lei (PL 4.548/98) que visa acabar com essa proteção para os animais domésticos.

A intenção do Projeto de Lei é alterar o art. 32 da Lei de Crimes Ambientais, retirando a expressão “domésticos e domesticados” e, assim, descriminalizar atos de abuso e maus-tratos contra esses animais.

Essa alteração significaria um enorme retrocesso na história da proteção animal no Brasil, ao tornar ainda mais branda a legislação animal vigente, favorecendo a impunidade.

Os inúmeros casos de maus-tratos que se repetem diariamente no país deixariam de ser crime. O combate às condenáveis rinhas de cães e galos, por exemplo, seria dificultado ao extremo.

Você faria algo bem simples para ajudar os animais domésticos no Brasil?

O momento é delicado, sendo de fundamental importância que todos aqueles que se importam com os animais se manifestem. Lembre-se que a opinião popular é essencial para a aprovação ou rejeição de leis.

A WSPA Brasil elaborou uma carta online a ser enviada aos deputados federais, pedindo que NÃO APROVEM o Projeto de Lei 4.548/98, que modifica o art.32.


IMPORTANTE: Clique aqui para acessar o conteúdo da carta e, caso concorde em enviá-la aos deputados do estado onde você mora, preencha as informações abaixo e clique em continuar.


CLIQUE AQUI PARA ASSINAR CONTRA O PROJETO DE LEI

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Você Pensa no que Você Come?



Antes de comer.

Pense.

Antes de matar.

Pense.

Antes de desmatar.

Pense.

Pra salvar a natureza

Não pense duas vezes.

SALVE.



Espécies de peixes marinhos que devem ser evitadas e aquelas que estão livres para o consumo

Usando como referência a Lista Nacional do IBAMA e da IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza), temos três situações:


1 – Espécies que NÃO PODEM E NÃO DEVEM SER CONSUMIDAS

Entre os peixes comerciais famosos, temos: cação-anjo, raia-viola, peixe-serra, surubim, cioba, badejo-tigre e mero.

Obs: 12 espécies de tubarões/raias e 145 espécies de peixes constam no Anexo I do IBAMA como espécies ameaçadas de extinção, com alto risco de desaparecimento na natureza em um futuro próximo.

Obs: Apesar de estar no Anexo II, o mero é a única espécie brasileira protegida e proibida de ser capturada.

Obs: EVITE o famoso filé de viola, pois muitas peixarias comercializam o filé do cação-anjo como se fosse o filé da raia-viola. E ambos estão seriamente ameaçados.


2 – Espécies que DEVERIAM SER EVITADAS

Entre os peixes comercais famosos, temos: atum, badejo, cherne, corvina, enchova, garoupa, merluza, namorado, pargo, pescadinha-foguete, sardinha-verdadeira, tainha e vermelho.

Entre os cações ou tubarões a maioria deveria ser evitada, mas principalmente: cação-mangona e tubarão-martelo.

Obs: Cação e tubarão são dois nomes que designam o mesmo animal.

Obs: Fora as lagostas e camarões, 6 espécies de tubarões e 31 espécies de peixes constam no Anexo II do IBAMA como espécies sobrepescadas (cuja condição de captura é tão elevada que reduz o potencial de desova e as capturas no futuro) ou como espécie ameaçada de sobrepesca.

3 – Espécies LIBERADAS PARA O CONSUMO


Entre os peixes comerciais famosos liberados temos: abrótea, agulha, albacora, batata, baúna, bicuda, bijupirá, bonito, caranha, carapeba, castanha, cavala, cavalinha, cocoroca, congro, congro-rosa, dourado, galo, linguado, manjuba, michole, olhete, olho-de-cão, pampo, peixe-espada, pescada, piranjica, piraúna, robalo, sororoca, tira-vira, trilha, xáreu, xerelete e xixarro.

Tome uma atitude correta em favor da Natureza

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Quando a voz do povo reclama a solução aparece. Continue gritando!


http://www.greenpeace-comunicacao.org.br/email/cyberativismo/ciber.html

Amigo Ativista,

Você falou e o mercado ouviu.

Após dois meses de campanha e intensa participação de vocês, ciberativistas, a Nestlé decidiu alterar sua política de compras e parar de financiar o desmatamento das florestas tropicais da Indonésia.

A empresa se comprometeu a identificar e excluir de sua lista de fornecedores companhias que possuam ou gerenciem plantações ou fazendas de alto risco ligadas ao desmatamento. Nesse grupo entraria, por exemplo, a Sinar Mas, a maior produtora de óleo de dendê e de papel e celulose da Indonésia, caso não siga a nova política da Nestlé, e intermediadoras como a Cargill, que compram da Sinar Mas.

O Greenpeace acompanhará esse compromisso para que ele não fique só no papel. E, se preciso, acionaremos a participação dos ciberativistas. Fique atento.

Trazemos outra boa notícia. A Floresta Boreal, no Canadá, maior e mais antiga da América do Norte, detém um dos maiores estoques de carbono do planeta e corria o risco de desaparecer por ações de desmatamento irresponsável.

Porém, pela necessidade de se disciplinar o mercado, nove organizações, incluindo o Greenpeace, e a Associação de Produtos da Floresta (APF), relacionada à fabricação de derivados de madeira estabeleceram um acordo histórico. Nele, a APF se compromete com uma moratória de três anos no corte de floresta pública e com padrões de manejo ambiental.

O que isso significa? Significa que, por três anos, 72 milhões de hectares estarão protegidos, sendo 40% disso Floresta Boreal. Significa também que planos de longo prazo serão implementados para recuperar a floresta e proteger espécies ameaçadas.

Enquanto isso, na Amazônia, mesmo após várias iniciativas que reforçam essa tendência regulatória, como a proibição de corte do mogno e moratória da soja, a bancada ruralista segue na contramão do que o mercado demanda e a sociedade exige. Os deputados investem contra a legislação ambiental brasileira e tentam aprovar alterações que permitiriam ampliar o desmatamento em nossas florestas.

Proteja a Amazônia, participe da ciberação “Aldo Rebelo, deixe as florestas em paz”.



http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Participe/Ciberativista/Aldo-Rebelo-deixe-as-florestas-em-paz/

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Guia da construção verde: Economia de água

Guia da construção verde: Economia de água
Postado em Arquitetura e EcoDesign em 08/01/2010 às 17h30


capa.jpg

Que a água é um recurso essencial para a vida na terra e que ela está sendo utilizada de forma irresponsável por boa parcela da população mundial, isso todo mundo já sabe. Mas mudar esse cenário pode começar dentro de nossas casas. Nesse guia você encontrará dicas de como reduzir seu consumo de água a partir de medidas simples que podem ser adotadas hoje, em qualquer residência.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cada pessoa precisa de 40 litros de água diariamente para atender as suas necessidades de consumo e higiene. No entanto, nos grandes centros urbanos do país e em cidades com mais de 120 mil habitantes, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros por dia.

Aqui no Brasil, o uso doméstico é responsável por 18% do consumo de água do país. Em uma casa com quatro moradores fixos, o consumo de água do chuveiro, vaso sanitário e cozinha podem chegar a mais de 70% do gasto total. Mas esses não são os únicos vilões do desperdício. Conheça algumas formas de racionalizar o uso da água e ajude a garantir o acesso das futuras gerações a esse recurso vital.

Banheiro

banheiro.jpg

Se tivéssemos que eleger um cômodo para reduzir o consumo de água, ele certamente seria o banheiro. Apenas a água utilizada pelo chuveiro e vaso sanitário corresponde a 47% do consumo total da família. Por isso, é importante prestar bastante atenção a essa parte da casa.

Banho curto. Um banho de ducha de 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Se fechar o registro ao se ensaboar e reduzir o tempo para cinco minutos, o consumo cai para até 30 litros.

Menos água para escovar os dentes. Se uma pessoa escova os dentes em cinco minutos com a torneira não muito aberta, ela gasta 12 litros de água. No entanto, se ela molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e ainda enxaguar a boca com um copo de água, ela consegue economizar mais de 11,5 litros.

Descarga econômica. Se ainda estiver construindo sua casa, prefira as descargas com sistema de sucção a vácuo, capazes de economizar até 80% de água. Alguns modelos tradicionais mais modernos também são vantajosos, já que consomem apenas seis litros de água por acionamento (cerca de metade do consumo das bacias sanitárias antigas). Você ainda pode colocar uma garrafa PET cheia e fechada na caixa d’água para reduzir ainda mais o consumo.

Evite banheiras. Uma banheira consome cerca de 80 litros de água por banho. Por isso, evite instalar esses equipamentos no seu banheiro ou deixe para usá-las apenas em ocasiões especiais.

Chuveiros inteligentes. Instale um chuveiro com dispositivo econômico para reduzir a quantidade de água liberada durante o banho. Outra opção é instalar uma torneira única para misturar a água - isto ajudará você a encontrar a temperatura ideal mais rapidamente e evitará o desperdício. Você ainda pode instalar arejadores nos chuveiros e pias. Esse pequeno instrumento introduz bolhas de ar no jato d’água, reduzindo o consumo de água em até 50%.

Cozinha

cozinha.jpg

A cozinha é responsável por grande parte da água consumida em uma casa. Seja no preparo dos alimentos ou na limpeza das louças, muitos litros podem ser poupados com medidas simples. Confira:

Utilize o lava-louças cheio. O uso de uma máquina lava-louças pode ajudar a reduzir o gasto com água e detergente, mas isso só será vantagem se o equipamento estiver na sua capacidade máxima. Por isso, nada de ligá-la apenas para lavar alguns pratos e talheres – espere encher e lave tudo de uma vez.

Deixe de molho. Se não for possível comprar uma lava-louças, uma alternativa para economizar água é deixar as panelas e pratos de molho antes de lavar. Isso ajuda a soltar os restos de alimento e reduz o tempo de lavagem. Para economizar água, tampe o ralo da pia e encha-a de água. Coloque toda a louça na água, lave-a e só abra a torneira na hora de enxaguar.

Feche a torneira. Se você não tiver como deixar os pratos de molho, ao menos deixe a torneira fechada enquanto lava a louça e abre-a apenas para molha e enxaguar. Retirar o excesso dos alimentos antes de lavar também ajudar a reduzir o consumo de água. Lavar a louça com a torneira meio aberta durante 15 minutos consome 117 litros de água. Com economia o consumo pode chegar a 20 litros.

Lavanderia, jardim e quintal

jardim.jpg

Essa região da casa também é responsável por boa parte do consumo da casa, especialmente quando se trata de lavar roupa, regar as plantas ou limpar a calçada. Mas algumas medidas simples podem te ajudar a reduzir esses gastos.

Acumule antes de lavar. Só ligue a máquina de lavar quando ela estiver com a sua capacidade máxima. A lavadora de roupas com capacidade de cinco quilos gasta 135 litros de água a cada lavagem, por isso deixe para usá-la de uma vez só.

Regue as plantas pela manhã. Nesse horário a terra ainda está fria e as plantas absorvem mais a água. Ao molhar a terra quente, parte da água irá evaporar e você terá que usar mais água para conseguir o mesmo efeito.

Instale um gotejador. Esse sistema de irrigação molha as plantas de forma lenta, contínua e controlada e garante uma boa economia de água. Você pode montar um desses em seu jardim fazendo pequenos furos em uma mangueira e colocando-a próxima ao caule das plantas, de modo a umedecer continuamente as raízes.

Vassoura e balde. Na hora de lavar o carro ou a calçada, nada de mangueira. Prefira varrer o chão e usar um balde com água para limpar o carro. Dados do Instituto Akatu mostram que uma mangueira ligada por 15 minutos gasta 279 litros de água. Isto significa que se você usá-la uma vez por semana, mais de 14 mil litros de água vão para o bueiro da rua em um ano.

Cubra a piscina. Ao fazer isso, você evita que litros de água evaporem todos os meses. Uma piscina média exporta ao sol e ao vento tem uma taxa de evaporação de até 3.800 litros mensalmente. Com uma cobertura (encerado, material plástico), a perda é reduzida em 90%.

Aproveitamento de água

reaproveitamento.jpg

Aproveite o que vem do céu. A água da chuva é destilada, cai sem cobrar impostos e ainda permite que você deixe a água potável para outros fins. Um sistema de aproveitamento pode ser mais complexo e captar a água em calhas, passá-la por um filtro e armazenar na cisterna para ser bombeada e distribuída para a casa, ou mais simples, como uma caixa d’água ou balde deixados a céu aberto durante a chuva.

Fim dos vazamentos. O primeiro passo para aproveitar melhor a água da sua casa é eliminando todos os vazamentos. Um buraco de 2mm (um pouco maior do que a cabeça de um alfinete) em um cano desperdiça até 3.200 litros de água em um dia. Para controlar os vazamentos, vale a pena ficar de olho no relógio de água (hidrômetro), nos canos alimentados diretamente pela água da rua e pela caixa d'água e nos reservatórios subterrâneos dos edifícios.

Reaproveite a água. A água utilizada durante o banho pode servir para a descarga, a da máquina de lavar pode ser útil para limpar a calçada e a que foi usada para lavar as verduras pode irrigar o jardim. Se for possível, instale um sistema de reaproveitamento de água em sua casa, mas se não for, um balde comum pode fazer o serviço muito bem.

Não vai embora ainda



Deixe um comentário, por favor!

aMiGoS Que Me NaVeGaM Na eSFeRa

CHEGOU O PORTAL DE COMUNICAÇÃO DE ARQUITETOS, ENGENHEIROS E AFINS

VISITEM O POENARCO.
O PORTAL DA ENGENHARIA, ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO.

ShareThis